Músico de Atibaia Alexandre Lora lança CD autoral com apoio da Associação Incubadora de Artistas

O músico atibaiense Alexandre Lora acaba de lançar de forma independente seu novo trabalho, com apoio da Associação Incubadora de Artistas. O disco solo “Oriente” possui composições originais, onde os Hand Pans  são os instrumentos principais, acompanhados por percussão tocada também pelo compositor. O resultado final é uma sonoridade única e particular. O álbum, gravado no estúdio Casa do Som, em Brasília, por Dudu Maia, conta com algumas participações especiais de músicos renomados, como Douglas Lora ao violão, Fabio Luna na flauta e Junior Chiaparini no contrabaixo. O CD possui 10 músicas inéditas, executadas com maestria e sensibilidade que prometem encantar aos mais variados tipos de ouvintes. A arte é assinada por Ivan Spacek, com fotos de Mayara Motta.

 

Alexandre define seu mais recente trabalho da seguinte forma: “A sonoridade do Hand Pan transcende qualquer classificação mas, no disco ‘Oriente’, algumas composições têm forte influência da música oriental, principalmente Indiana. Se tivesse que definir o estilo musical do disco, ou do instrumento, eu diria primeiramente que é ‘World Music’ e ‘Meditative’”.

 

 

Hand Pan

 

O Hand Pan é um instrumento de uma família relativamente nova: o primeiro, chamado Pan Art Hang, foi criado em 2000, na Suíça, por Felix Rohner e Sabina Schärer. Ele é tocado com as mãos e dedos e requer bastante habilidade para ser manuseado, pois desafina com relativa facilidade. Percussionista, Alexandre Lora viu no Hand Pan a oportunidade de começar a aprimorar sua habilidade como compositor. “Eu sempre tive vontade de desenvolver um som próprio, diferente de tudo o que fiz até então como músico. Por esse instrumento ser melódico, apesar de ser considerado percussão, pude começar a compor”, afirma.

 

“Vi o Hand Pan pela primeira vez em Barcelona, em 2004. Depois de muitos anos, vi que um amigo percussionista de São Paulo tocava um. Ele me mostrou o instrumento dele e depois disso não tive dúvidas de que precisava ter o meu. Essas coisas acontecem na música, e é como uma intuição certeira, a gente sente no coração um chamado e não adianta fazer de conta que não está ouvindo”, conta o músico.

 

 

Alexandre fala que o estudo em percussão erudita o auxiliou a dominar a nova ferramenta de trabalho. “Todos os instrumentos apresentam dificuldades no seu aprendizado. Como sempre toquei e me interessei por percussão, isso muito me ajudou na hora de dar os primeiros passos no Hand Pan. Ter estudado percussão erudita por 3 anos foi extremamente importante. Um músico está sempre aprendendo. Esse caminho nunca acaba. E isso é o mais bonito”.

 

Inspiração

 

Segundo o músico, a inspiração para o álbum “Oriente” veio em uma fase particular de dedicação à espiritualidade. “Todas as composições vieram num momento de maior devoção espiritual e, por isso, elas trazem essa qualidade de servir ao próximo como uma ferramenta poderosa na evolução de cada ser. Minha maior motivação é poder compartilhar um pouco com o mundo tudo aquilo que há de melhor dentro do meu coração, através de um trabalho musical com o máximo de qualidade que posso oferecer”.

 

 

Considerando-se ainda um iniciante como compositor, Alexandre conta como surgem as criações. “Compor ainda é algo novo em minha vida, não posso padronizar esse processo. Às vezes vem alguma ideia que rapidamente transponho para o instrumento. Outras vezes fico muito tempo numa só passagem, tentando solucionar da melhor maneira possível. Mas o que é certo é que sempre estou em casa, com os instrumentos na minha frente, sozinho, no intento de lapidar esse canal de manifestação para que o resultado seja bem fiel”.

 

Influências Musicais

 

Alexandre Lora mostra-se bastante eclético e surpreende ao falar sobre seus ídolos e fontes de inspiração. “São muitas minhas referências musicais. Todas as fases que passei na minha vida, tudo aquilo que já ouvi exerce alguma influência sobre meu trabalho. Existem algumas bandas que tiveram maior importância que outras, como Pink Floyd, por exemplo. Alguns músicos me inspiram mais que outros, como Jovino Santos Neto, David Kuckhermann, Ney Rosauro, Chandra Lacombe, Hélio Lora e minha mãe, Cira Lora. Mas a pessoa que é minha maior influência, por todos os tempos, é meu irmão, Douglas Lora, a quem agradeço cada dia por estarmos juntos nesse caminho da música”.

 

 

Carreira

 

Alexandre Lora transita facilmente entre os diferentes estilos da música popular brasileira, atuando tanto como baterista quanto percussionista. Graduou-se em bateria na FAAM (Faculdade de Artes Alcântara Machado) no ano de 2002, estudou percussão erudita durante 3 anos na EMM (Escola Municipal de Música de São Paulo) e obteve Pós-Graduação em Musicologia e Educação Musical na Universidad Autónoma de Barcelona em 2009. Neste mesmo ano, esteve em Copenhagen (Dinamarca), a convite do Comitê Olímpico Brasileiro, defendendo o Brasil nas eleições do país como sede das Olimpíadas de 2016, juntamente com o grupo Caraivana. Em 2010 se apresentou em 33 cidades da Espanha, participando do projeto "Diversons", do Banco La Caixa. No ano de 2011, juntamente com a XLJazz Orchestra, se apresentou nas mais conceituadas casas de shows de Amsterdã e Roterdã. Desde 2012 leciona percussão no Centrum Choro Workshop (Port Towsend-EUA) e tem se apresentado ao lado do Trio Brasileiro nas principais cidades dos EUA, como NY, Chicago, Boston, Seattle, Miami e Portland. Alexandre já se apresentou ao lado de músicos como Anat Cohen, Martin Fondse, Jovino Santos Neto, Mestrinho, Ramón Valle, Mariana Aydar, Brasil Guitar Duo e Ney Rosauro.

 

CD Oriente

 

O CD Oriente pode ser obtido pela internet, nos sites:

 

www.cdbaby.com/cd/alexandrelora

 

itunes.apple.com/br/album/oriente/id1000660002

 

Para ouvir a música que dá nome ao álbum, acesse:

 

soundcloud.com/alexandre-lora/oriente